21 jan

IBGE vai recensear a população quilombola pela primeira vez em 2020

Por Maryellen Crisóstomo

Ascom CONAQ

Em 2020 a população quilombola do Brasil vai ser recenseada como tal pela primeira vez, a exemplo do censo indígena em 2010. O debate iniciado há cerca de quatro anos entre a Coordenação Nacional de Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e parceiros, foi constituído ao longo de várias consultas que culminou na aplicação de provas-piloto em comunidades do Pernambuco e na inclusão de comunidades do Rio Grande do Sul no censo experimental, 2019. Os testes foram realizados para assegurar a efetividade da coleta de dados.

Imagem disponível no site do IBGE

José Carlos do Nascimento Galiza, um dos coordenares executivos da CONAQ, que acompanhou o processo desde o início, avalia a consolidação da iniciativa como um fator positivo para o fortalecimento da luta quilombola. “Vamos ter dados oficiais sobre o quantitativo de pessoas e comunidades quilombolas no Brasil. Dados esses que fortalecerão a nossa luta por políticas públicas em todo o território Nacional” complementa Galiza.

A importância dos dados na luta por políticas públicas é um consenso dos representantes da CONAQ. O coordenador de cultivo, José Alex Borges Mendes, relata que diversos coordenadores de diferentes Estados estiveram à frente do diálogo estabelecido com o IBGE e que essas participações foram importantes para que as comunidades quilombolas sejam recenseadas no Censo Demográfico 2020. “Isso vai nos ajudar nas tomadas de decisão, nas mesas de negociação das políticas públicas para as comunidades quilombolas, esse povo que muitas vezes não são assistidos. Então é importante e fundamental que o censo 2020 chegue a todas as comunidades quilombolas desse Brasil” ressalta Mendes.

Conforme informações do site do IBGE o censo experimental aconteceu entre os meses de setembro e dezembro de 2019. “No período de 21 de setembro a 02 de dezembro de 2019, o IBGE realizou o Censo Experimental em Poços de Caldas e alguns testes em outras cidades brasileiras para verificar se todas as soluções pensadas para a realização do Censo Demográfico 2020 são viáveis”, informou o órgão.

A CONAQ agora trabalha junto às comunidades para sensibilizá-las quanto à importância de responder ao questionário que vai ser aplicado pelos recenseadores que deverão ir a todas as comunidades no segundo semestre deste ano.

A elaboração do questionário para compor o censo demográfico IBGE teve a participação da CONAQ em parceria com Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), Fundação Cultural Palmares, Fundo de Populações das Nações Unidas (UNFPA), Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e o Estado Brasileiro, além de departamentos estaduais que colaboraram com a disponibilização de dados referente às comunidades.

Leia também:

Entrevista com Maria Rosinha: De olho nas eleições municipais CONAQ mobiliza lideranças para a disputa

Entrevista com Vercilene Dias, advogada e mestra em Direito Agrário pela UFG: Enfrentamento: Estrutura racista e excludente do sistema judiciário brasileiro é uma luta à parte quando se trata da efetivação dos direitos quilombolas

Entrevista com Maria do Socorro Fernandes da Cruz – Mariah: Coletivo de Mulheres da CONAQ propõe debate sobre violência, política e autocuidado como estratégias de resistência em 2020

Entrevista com Celso Isidoro Araújo Pacheco e Walisson Braga da Costa: Luta: Jovens quilombolas falam sobre desafios, perspectivas e resistência em 2020

Siga também nossa página no Instagram: @conaquilombos

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Instagram