O livro “Mulheres Quilombolas: territórios de existências negras femininas” surge para mostrar que as comunidades…
O projeto tem o apoio do Google Earth Outreach e USAID e foi realizado junto…
Dados da transmissão da doença em territórios quilombolas são subnotificados, pois muitas secretarias municipais deixam…

Lives

Encontro sobre a Educação Quilombola

Encontro sobre a Educação Quilombola

O MMQPR (Movimento de Mulheres quilombolas do Paraná), apresenta o Encontro sobre a Educação Quilombola, que ocorrerá dia 07 de dezembro de 2020 às 19h online, com base nas “Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola na Educação Básica”, nos...

i

Releases

n

Clipping

Imagens

I

Vídeos

y

Áudios

Agenda

Memória Quilombos

O espaço Memória Quilombos é construído por você quilombola!
Conte-nos a sua história e o seu quilombo!
Você que expressa as suas vivências e resistências por meio de desenhos, fotografias, textos (contos, prosa, poesia) e até mesmo suas produções no meio acadêmico (artigos, monografias, dissertações e teses).
Compartilhe conosco!

Desenho de Maria Clara, 12 anos. Moradora do Quilombo Lagoas, SRN – Piauí

Seu título vai aqui

Your content goes here. Edit or remove this text inline or in the module Content settings. You can also style every aspect of this content in the module Design settings and even apply custom CSS to this text in the module Advanced settings.

Desenho infantil

Artigos

Poesia

Produção acadêmica

Fotografia

Quilombo na mídia

Em 1996, durante o Encontro de Avaliação do I Encontro Nacional de Comunidades Negras Rurais Quilombolas, realizado em Bom Jesus da Lapa – Bahia, a Comissão Provisória dá lugar à Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas – Conaq, que tem como caráter central se constituir como movimento social.

Os objetivos da CONAQ são: lutar pela garantia de uso coletivo do território, pela implantação de projetos de desenvolvimento sustentável, pela implementação de políticas públicas levando em consideração a organização das comunidades de quilombo; por educação de qualidade e coerente com o modo de viver nos quilombos; o protagonismo e autonomia das mulheres quilombolas; pela permanência do (a) jovem no quilombo e acima de tudo pelo uso comum do Território, dos recursos naturais e pela em harmonia com o meio ambiente.

> Conheça nossa história