Violência contra a mulher: Judiciário realiza ação em comunidade quilombola

Por:  Natália Rezende

Diariamente são inúmeros os casos de violência contra mulheres que precisam ser combatidos. E o Judiciário do Tocantins vem buscando promover o enfrentamento à violência doméstica. Neste sábado (24/11), véspera do Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher, a Vara Especializada no Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Araguaína promoverá a terceira etapa do projeto Maria da Penha Leva Cursos-Comunidade Sustentável.

Desta vez, a ação será desenvolvida na comunidade quilombola Dona Juscelina. Durante a programação, as mulheres da comunidade que possui 920 membros e mais de 200 famílias, participarão de rodas de conversas e oficinas de artesanatos. No intuito de informar as mulheres da comunidade, também serão distribuídos panfletos informativos sobre Lei Maria da Penha e haverá atendimento especializado com psicólogos. A ação  ocorrerá das 8 às 17 horas.

Dados

Somente no ano de 2017, conforme dados do Fórum Nacional de Violência contra a Mulher, 193 mil mulheres registraram queixa contra seus atuais ou ex-companheiros. A violência física é o crime com o maior número de denúncias.

No Judiciário tocantinense mais de 9 mil ações foram ajuizadas de janeiro do ano passado até novembro deste ano.

**Matéria publicada originalmente Surgiu, em 23 de novembro de 2018.