24 mar

“Seminário Mulheres Quilombolas: ‘Resistir para Existir’ preparativos para II Encontro Nacional de Mulheres Quilombolas da CONAQ”

CONAQ realizou entre os dias 10 à 12 de Março em Brasília-DF o “ Seminário Mulheres Quilombolas: ‘Resistir para Existir’ preparativos para II Encontro Nacional de Mulheres Quilombolas da CONAQ”. AA  agenda contou com o apoio da OXFAM BRASIL, UNEafro, Alma Preta, Coalizão Negra por Direitos/IROHIN e do projeto Uma Gota no Oceano.

Como já explícito no título, o seminário pretende definir os últimos preparativos do II Encontro Nacional de Mulheres Quilombolas que está previsto entre os dias 24 à 28 de Maio deste ano. De acordo com as coordenadoras da CONAQ, ainda não se tem certeza do número de mulheres que estarão presentes no evento, mas a estimativa é que 500 quilombolas compareçam no 2º Encontro Nacional de Mulheres Quilombolas. 

Foto: Nathalia Purificação

Foto: Nathalia Purificação

Tauá Lourenço Pires, coordenadora de projetos de uma das parceiras da CONAQ, a OXFAM, contou um pouco de como a confederação trabalha e como começou a parceria com a CONAQ: 

Taua Lourenço Pires / Coordenadora de Programas da OXFAM Brasil

“A confederação OXFAM,  já atua no Brasil há mais de 50 anos, antes da gente ser uma organização brasileira também, por que  nós estamos funcionando como uma ONG brasileira só há cinco anos, mas dentro dessa nossa história, dentro desses 50 anos tem a importância de se aliar à articulações, redes, movimentos, que são tradicionais no Brasil e historicamente nós tivemos um programa que era chamado de Comunidades e povos tradicionais, no qual a gente entendia a importância de estar fortalecendo articulações e redes de povos e comunidades tradicionais. Então nessa ocasião é que a gente se aproximou da CONAQ e de outros grupos como por exemplo As Quebradoras de Côco Babaçu, tentando fazer um trabalho mesmo de nos colocar à disposição para esse processo de fortalecimento, naquele momento a conaq ela tava iniciando.”

A coordenadora também ressalta a importância dessa parceria com a CONAQ: 

“Atualmente o nosso trabalho, é uma trabalho que olha mais para o espaço urbano, desde que nós nos nacionalizamos, nos tornamos uma organização brasileira, como eu contei, foi  cinco anos, então nosso trabalho ele é mais específico pras periferias, favelas e espaços urbanos nesse processo de enfrentamento das desigualdades, mas a gente segue com esse olhar, pra nossa história e pra essa compreensão mais ampla da sociedade civil, nesse sentido a CONAQ é uma parceira muito importante, especialmente quando se trata do trabalho das mulheres da CONAQ que a gente também tem uma admiração e a gente tenta ‘tá’ aprendendo e trocando ao máximo também com as mulheres quilombolas.”

 

MATÉRIA: NATHALIA PURIFICAÇÃO

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Instagram