24 nov

Comunidades quilombolas de Rondônia validam e complementam dados do questionário socioeconômico junto ao Programa Compartilhando Mundos

Foto: Maryellen Crisóstomo

Representantes das comunidades Santo Antônio do Guaporé, Pedras Negras e Santa Cruz e Forte Príncipe da Beira validaram os dados socioeconômicos e de mapeamento dos territórios quilombolas de Rondônia. A Oficina de Análise de Dados é uma etapa do Programa Compartilhando Mundos e aconteceu entre os dias 08 e 10 de novembro na Comunidade Forte Príncipe em Costa Marques.
Durante a leitura dos dados os participantes tiveram a oportunidade de confirmar e complementar as informações do questionário ODK, elaborado pela Coordenação Nacional de Comunidades Negras Rurais (CONAQ). “Ter a minha comunidade como dado é muito importante porque nós somos mais distantes e a gente ter isso da nossa comunidade é muito importante. Foi mais aprendizado e vou levar pro resto da vida a gente só tem a aprender. Sempre quis participar desses encontros e agora surgiu à oportunidade, tive bastante aprendizado e foi maravilhoso”, destacou Sânia Serrath, quilombola da comunidade Santa Cruz, Pimenteiras do Oeste
Representando a CONAQ, o coordenador Arilson Ventura falou sobre a importância da Coordenação junto às comunidades no processo de titulação dos territórios e destacou a parceria da ECAM frente à execução dos Programas Novas Tecnologias e Povos Tradicionais e Compartilhando Mundos. “A CONAQ está sempre disposta a contribuir com aquilo que estiver ao nosso alcance e a ECAM chega dentro desse processo para contribuir para que nós possamos chegar mais longe. A sua comunidade depende muito desse conhecimento que vocês estão aprendendo aqui neste encontro”, ressaltou.
O professor João Paulo dos Santos do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPAD) e facilitador da Oficina chamou a atenção para a importância da consolidação dos dados como ferramenta de luta em prol da conquista e garantia de direitos das comunidades quilombolas. “Que os dados possam possibilitar vocês a sensibilizar pessoas, trazer pessoas para as pautas que mais lhes tocam. Atrair parceiros para a luta. Poder apresentar essas suas bandeiras e também poder sensibilizar novos parceiros a partir dos dados”, destacou.
O projeto é realizado por meio de parceira entre a Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ), a Equipe de Conservação da Amazônia (ECAM), Google Earth Solidário e a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) que também é financiadora.

Texto: Maryellen Crisóstomo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto: Maryellen Crisóstomo

Foto: Maryellen Crisóstomo

Foto: Maryellen Crisóstomo