22 out

Capacitação reúne jovens quilombolas do Mato Grosso e Tocantins em Brasília

Nos dias 19, 20 e 21 de outubro ocorreu na sede da CONAQ a Capacitação em Google Earth e ODK. O evento foi realizada pela Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam), em parceria com o Google Earth Solidário e com a Conaq. Essas ações são parte do Programa Novas Tecnologias e Povos Tradicionais, que conta com o apoio financeiro da USAID.

Esta edição foi voltada para jovens quilombolas do Mato Grosso e do Tocantins, e aconteceu na sede da Conaq. Os cursistas vieram de comunidades dos dois estados. Mutuca, Mata Cavalo de cima, Mata Cavalo de baixo, Aguaçu, Capim Verde e Ponta da Estiva, no Mato Grosso, e das comunidades Kalunga do Mimoso, Lagoa da Pedra, Káagados, Comunidade de Lajeado, São Joaquim e Baião, no Tocantins.

Evandro Dias mora na comunidade Káagados. Ele é presidente da associação da comunidade e cursa Educação do Campo, na Universidade Federal do Tocantins. Além disso, é coordenador estadual da Juventude Quilombola. Para ele, “esse trabalho, com esse curso, vem de uma maneira muito positiva. Eu estou aqui, cheio de ideias na cabeça, para poder fazer, mapear as coisas que tem na minha comunidade e coisas que faltam lá. O material que será produzido a partir desse curso vai fortalecer muito a nossa luta”.

O grupo passou os três dias trabalhando em conjunto, conhecendo os recursos do Google Earth e do ODK, e também planejando como poderão utilizar essas duas ferramentas depois. Ao final da capacitação um cronograma de levantamento de dados foi construído para cada território.

Mais uma ferramenta

Nessa capacitação uma nova atividade foi desenvolvida com o grupo: uma discussão sobre o YouTube. Allan Portes, do Pixel Tutorial, teve uma conversa animada com os jovens. Compartilhou sua experiência como youtuber e deu dicas de produção e uso do canal.

Adrianny de Arruda Abreu, que veio do Mato Grosso, sempre acessou muito o canal. Ela lembra que sempre teve o cabelo liso, e há poucos anos resolveu passar pelo processo de transição. “No YouTube nós vemos pessoas na mesma realidade, parecida com a gente. Ver essas pessoas me empoderou mais. Você mudar uma coisa que acreditou por vinte e poucos anos é difícil”, comenta Adrianny. E ela, junto com as colegas, já imagina seu próprio canal: “Os vídeos que vemos falam muito de óleo de coco, mas no Mato Grosso nós temos o conhecimento de nossas avós. Óleo de babaçu, óleo de mamona. São receitas do nosso cerrado, de nossa realidade. Eu sinto falta disso no YouTube, e seria legal nós falarmos sobre isso”.

O Programa Novas Tecnologias e Povos Tradicionais

Desde 2007 o Programa Novas Tecnologias e Povos Tradicionais vem apoiando povos indígenas, quilombolas e pequenos produtores nas práticas relacionadas ao uso sustentável de seus territórios. Para ampliar o potencial dessa iniciativa, acaba de ser aprovado o projeto Comunidades indígenas e outros Atores Relevantes Melhor Protegem seus Territórios e Outros Recursos Naturais. O projeto terá quatro anos. Teremos oficinas para compartilhar conhecimentos sobre o Google Earth e o ODK e assessoria técnica no uso das ferramentas. O projeto é possível graças ao apoio generoso do povo americano, por meio da USAID. A Ecam realizará o projeto, com a parceria do Google Earth Solidário. Também são parceiros a Natura e o Imaflora.