29 set

NOTA DE REPÚDIO AO CANDIDATO AO GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ, SÍLVIO MENDES

 

A Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ) lamenta e repudia a fala do candidato ao Governo do Estado do Piauí, Sílvio Mendes, que em uma entrevista cita o Quilombo Mimbó, Amarante -PI como “miserável” e explicitamente diz não ser necessário evidenciar no seu plano de governo as ações voltadas para a população negra.

Veja na íntegra o vídeo da entrevista:  

 

A comunidade quilombola Mimbó está localizada na zona rural do município de Amarante-PI e preserva sua historicidade e (re)existência. Na comunidade onde vivem mais de 600 pessoas, em sua maioria pretas, carregam mais de 200 anos de luta contra o sistema escravagista. A religião de Matriz Africana é fortalecida pelos mais velhos e mais novos. A comunidade possui um potencial cultural fantástico. Por meio da internet via fibra óptica (internet) os alunos fazem pesquisas de trabalho escolar, onde cada um possui um tablet para essa finalidade. Futuramente a comunidade estará lançando a sua marca de artesanato MIMBÓ, onde as peças são elaboradas e produzidas pela própria comunidade. 

Não podemos achar normal uma fala carregada de tanto RACISMO e desprezo como foi a fala feita pelo candidato a governo do Estado do PI, Sílvio Mendes. Isso é algo lamentável quando não se conhece e coloca as comunidades em situação de miseráveis. O quilombo Mimbó é uma comunidade com potencial enorme e, assim como a população negra piauiense, precisa de governantes comprometidos com as ações voltadas para a população e suas especificidades. 

Sendo assim, é altamente preocupante a fala do candidato ao governo do PI, Silvio Mendes, pois declarar  que não é necessário evidenciar  as ações voltadas para a população negra em um plano de governo do Estado significa dizer que mais de 80% da população do PI não terão suas demandas atendidas. O Piauí é o terceiro Estado do Nordeste com maior percentual da população autodeclarada negra. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e revelam que 80% da população se considera preta ou parda. 

O RACISMO é a principal fonte de invisibilização e extermínio da população quilombola, é o que nos mantém na invisibilidade das políticas públicas e nos mata. Em tempo de enfrentamento em prol das novas conjunturas políticas e sociais, não há espaço para as candidaturas racistas!

Brasília, 28 de setembro de 2022

CONAQ – Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas.

Share This