07 dez

Salvaterra inaugura o primeiro Museu Quilombola do Pará

O museu será dedicado aos descendentes dos africanos no Marajó

A comunidade quilombola  de Pau Furado, no município de Salvaterra, vai inaugurar o primeiro Museu Quilombola do Pará. O feito inédito é fruto do esforço das famílias que habitam a comunidade de descendentes de africanos, que foram escravizados na ilha do Marajó.
 A coordenadora do projeto, Maria José Alcântara Carneiro, explica que a o prédio que abriga o local, será um Centro de Ciências e Saberes Quilombolas, instalado no antigo prédio de uma escola municipal, que foi cedido em 2017 pela Prefeitura Municipal de Salvaterra.
Porém, toda a reforma e instalação do museu, foi feita pelas comunidade que habita na localidade do Pau Furado, distante cerca de oito quilômetros da sede do município.
Segundo Maria José, as obras e adaptações foram bancadas com doações e toda comunidade ajudou a erguer o local. Na inauguração, que sertá sábado, 8, às 10 h, haverá exposições de fotos de atividades do dia a dia da comunidade,  peças teatrais,  apresentação de grupos folclóricos dos quilombos de Salvaterra e a apresentação do projeto ao público.
“O museu terá como objetivo preservar traços das referências africanas nestas comunidades e servir como fonte de pesquisa para estudantes e professores”, ressalta a coordenadora.
Atualmente, 86 famílias vivem no quilombo Pau Furado, em Salvaterra. Eles vivem do extrativismo, pesca, agricultura familiar e produção de farinha de mandioca.
Área do quilombo Pau Furado
*Matéria original publicada no site Roma News em 06 de dezembro de 2018