17 jun

Festival WOW-Mulheres Do Mundo – MULHERES QUILOMBOLAS PRESENTES!

Aconteceu no último sábado, dia 15 de junho de 2019, no Rio de Janeiro a segunda edição do Festival WOW-Mulheres do Mundo, que, como o nome já diz, trata-se de um poderoso encontro de mulheres de origens e lugares diferentes que se encontram para compartilhar suas trajetórias, se fortalecerem e seguirem confiantes em suas lutas e causas sociais em que acreditam nas mais diversas esferas de atuação social.

As mulheres quilombolas foram convidadas a participar desta edição na mesa Mulheres criam espaços de (re)existência na cidade . Estiveram presentes as lideranças Sandra Braga, do quilombo Mesquita em Goiás que há muitos anos vem enfrentando a especulação imobiliária que assedia seu território; e  Lucimara Muniz, do atual quilombo urbano Custodópolis no Rio de Janeiro, antigo quilombo Casa de Palha que também vive a realidade de resistir para continuar existindo através dos tempos e das violências que o modo de vida urbano muitas vezes impõe à realidade dos quilombolas.

As quilombolas, coordenadoras da CONAQ, destacaram a importância que momentos como este têm para a troca de conhecimentos e perspectivas de vida e luta entre mulheres e para mulheres.

Foi falada sobre a questão do território, sobre a questão da violência que nós mulheres sofremos muitas vezes por lutar pelo nosso território. Foi uma troca e um compartilhamento de experiência em vários pontos, tanto na superação, quanto na questão da valorização da mulher, na salvaguarda do território e a importância do papel da mulher`a frente da defesa de suas comunidades .

Foi realmente uma troca, um diálogo muito importante.  Um momento também para mais uma vez buscar força em Deus, nos  nossos ancestrais e em nossas irmãs mulheres ali presentes para que esta força nos acompanhe na luta pela defesa dos nossos territórios que muitas vezes não é fácil.

Para nós é bom saber que não estamos sozinhas. Quando você vem para um encontro assim você redescobre que a luta não é só sua, a dor não é só sua, é de muitas que estão em lutas parecidas com as nossas. Mas além de compartilhar um pouco da nossa luta e da nossa dor, nós compartilhamos fortalecimento para seguir em frente em nossas batalhas em nossos territórios com a força de mulheres como nós. – Sandra Braga-CONAQ.

**

Este evento que aconteceu no Rio foi um momento muito importante de diálogo. Podemos estar com várias representações de mulheres. A partir do tema: “Mulheres criam espaços de (re) existência dentro das cidades” onde cada mulher pode expor como é o seu papel de resistência sendo negra ou não negra dentro da sociedade . Foi um momento de troca e de construção, dentro de um cenário político que vem desconstruindo toda uma política afirmativa, principalmente para as mulheres negras e mulheres quilombolas.

Uma provocação interessante da plenária foi quando nos perguntaram qual seria a cura para as dores que enfrentamos em nossas lutas. Respondemos que a cura é acordar todos os dias e lembrar que esta luta não é minha, não é dela, é uma luta por igualdade, é uma luta por defender o seu território, é uma luta em que eu não sou o espelho, mas eu me espelho todo o momento na luta do meu companheiro (a). Isso é quilombo. É essa humildade de saber que eu não estou só em minha dor, que a minha dor é a de cada um dos quilombos. Esse pensamento é que nos aglutina forças e nos dá ânimo para a todo momento a gente estar em resistência. – Lucimara Muniz- CONAQ.

Participação quilombola durante o WOW – Festival Mulheres do Mundo.