04 set

COVID-19: avanço da doença em territórios quilombolas já deixa 156 mortos

Os dados de alastramento da Covid-19 no Brasil já chamam atenção, são  124 mil e 614 mortes e mais de 4 milhões de pessoas infectadas já registrados. A invisibilidade do alastramento da doença em territórios quilombolas revela uma situação potencialmente drástica, que não tem recebido a atenção devida das autoridades públicas e dos meios de comunicação dominantes. Dados da transmissão da doença em territórios quilombolas são sub-notificados, pois muitas secretarias municipais deixam de informar quando a transmissão da doença e morte ocorre entre pessoas quilombolas. 

De acordo com monitoramento autônomo desenvolvido pela Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq) junto aos territórios, em 04 de setembro de 2020, foram diagnosticados nos estados que a CONAQ atua: 4.541 (quatro mil quinhentos e quarenta e um) casos confirmados, 1.214 (um mil duzentos e catorze) casos monitorados, 156 (cento e cinquenta e seis) óbitos e 03 (três) óbitos sem confirmação de diagnóstico (Bahia, Minas Gerais e Pará).

A situação se agravou e os números são: Pará  43 óbitos; Rio de Janeiro 38 óbitos; Amapá 23 óbitos; Maranhão 12 óbitos; Pernambuco 09 óbitos; Espírito Santo 06 óbitos; Bahia 05 óbitos; Goiás 04 óbitos; Ceará  03 óbitos; Piauí 03 óbitos; Santa Catarina 02 óbitos; Rio Grande do Norte 02 óbitos; Mato Grosso 02 óbitos; Amazonas 01 óbito; Paraíba 01 óbito; Tocantins  01 óbito; Alagoas 01 óbito.

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Instagram